respublica

segunda-feira, julho 31, 2006

HIPOTETICAMENTE FALANDO... Imagine o leitor que uma qualquer milícia terrorista se instalava em Espanha, de onde atacava Portugal com 'rockets' e mísseis de longo alcance. Impotente e desarmado, o governo espanhol não fazia nada para os impedir, ou até colaborava com eles, dando a esse grupo dois lugares no Executivo. Como deveria reagir o governo português?

9 Comments:

  • Não será assim tão simples mas, apesar de tudo, é óbvio que os israelitas devem defender o seu espaço. Se o dito espaço é legitimamente deles ou não é outra história. Coloquem essa questão a quem lhes deu o território. Mas que têm direito a defendê-lo, lá isso têm.

    By Blogger Hugo Monteiro, at quarta-feira, agosto 02, 2006 3:50:00 da tarde  

  • Chacinando o povo de badajoz já se sabe!

    By Blogger Joana, at quinta-feira, agosto 03, 2006 4:51:00 da tarde  

  • matando civis inocentes às dezenas de cada vez. Nunca gostei de espanhois de qualquer das maneiras

    By Blogger MiM, at quinta-feira, agosto 03, 2006 4:53:00 da tarde  

  • Para quem se interessa por história estes artigos são, no mínimo, toscos. Ora vamos lá estudar um pouco. E não vamos confundir israelitas com sionistas, nem palestinianos com "terroristas". Acaso já verificaram quem constituiu os primeiros grupos "terroristas"?
    anc

    By Anonymous anc, at segunda-feira, agosto 07, 2006 12:38:00 da manhã  

  • De toscos, estes artigos têm muito pouco. Talvez que uma passagem rápida pelo blogue não tenha permitido uma leitura mais aprofundada do mesmo (como sempre, não se deve tomar a parte pelo todo), mas ficaria espantado/a por saber que há pessoas que não só se interessam por história como, melhor ainda, cultivam esse seu interesse. Quanto à sua observação, anc, a questão não está em quem constituiu os primeiros grupos "terroristas" mas em quem os mantém, agora. A culpa de uns, no passado, não iliba a de outros, no presente. Isso, aliás, costuma ser o argumento utilizado por quem não tem mais nenhum. Não é o facto de Caim ter assassinado Abel que transforma o homicídio em algo desculpável. Não me passa pela cabeça, sequer, confundir israelistas com sionistas (sendo que uns são parte de outros). Já palestinianos com terroristas...

    By Blogger Rui Afonso, at segunda-feira, agosto 07, 2006 10:53:00 da manhã  

  • ANC: há uma "confusão" generalizada hoje em dia, que consiste em meter no mesmo saco o Hezbollah e os Palestinianos, como se a a luta e as causas por detrás dessa luta fossem as mesmas. O Hezbollah é composto por libaneses xiitas que lutam contra Israel a mando do Irão e da Síria. Com excepção das quintas de Sheeba, Israel não ocupa qualquer parcela do território libanês.

    By Blogger Filipe Alves, at segunda-feira, agosto 07, 2006 12:12:00 da tarde  

  • É verdade, como o rui afonso disse, que os sionistas são uma pequeníssima parcela da população israelita. Como é verdade que o Hezbollah não pode ser tomado senão por uma pequena parte da população libanesa.

    Em 2005 o braço político/partidário obteve 14 dos 128 lugares do parlamento libanês e a coligação de que fazia parte ficou bem atrás do movimento anti-sírio de Saad Hariri.

    E o que é que o comentário do "já os palestinianos... [são todos terroristas]" queria dizer exactamante?
    Very classy

    By Blogger MiM, at segunda-feira, agosto 07, 2006 1:45:00 da tarde  

  • Talvez me tenha expressado mal. A expressão Já palestinianos com terroristas... pretendia referir-se à cobertura que a Palestina dá a certos grupos terroristas, mormente ao Hamas que, inclusive, neste momento, é poder.

    By Blogger Rui Afonso, at segunda-feira, agosto 07, 2006 4:30:00 da tarde  

  • ah, ok... o engano foi meu...

    Por momentos pensei que te estivesses a referir aos palestinianos (dois pelo menos, que eu saiba) que morreram debaixo da chuva cega e criminosa de rockets do Hezbollah.

    By Blogger MiM, at segunda-feira, agosto 07, 2006 8:50:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home