respublica

sexta-feira, março 10, 2006

DUALIDADE Anda muita gente preocupada com Guantanamo. E com razão. Mas não vejo tanta indignação perante o que se passa a alguns quilómetros daquela base norte-americana, nas prisões de Fidel Castro. Nem ouço esse mesmo coro de vozes indignar-se com a brutalidade chinesa.

6 Comments:

  • ..
    Caro Filipe,

    Pode comparar, por diferentes angulos, os procimentos prisionais em Cuba e na China - são regimes ditatoriais.

    Agora a grande Dualidade está exactamente nos Estados Unidos (Administração). Por um lado invade-se paises em nome da liberdade, da democracia e dos direitos humanos e por outro lado pratica-se Guantanamo e Abu Ghraib.

    Cumprimentos,
    AAF - Regionalização

    By Blogger Antonio Almeida Felizes, at domingo, março 12, 2006 5:29:00 da manhã  

  • Estou de acordo consigo. Mas penso que a dualidade existe também do outro lado da barricada; Fidel também diz governar de forma democrática... e muitos dos que atacam os EUA por causa de Guantanamo fazem vista grossa às atrocidades de Fidel porque no fundo partilham a mesma visão do mundo e defendem o mesmo sistema político. Além de que no caso dos EUA há mais probabilidades de os autores das atrocidades são levados perante a justiça.

    By Blogger Filipe Alves, at segunda-feira, março 13, 2006 11:39:00 da manhã  

  • Eu estou indignado com os dois. Em boa verdade diga-se que o silêncio sobre a china vem de muitos sectores e por diferentes razões.

    By Blogger Berith, at sábado, março 18, 2006 12:44:00 da tarde  

  • Então andas distraído, meu caro amigo. As vozes de protesto são as mesmas, o enquadramento é que é diferente, como explica aqui (bem)António Felizes. E tu percebes perfeitamente o que está emq uestão quando se fala em Guantanamo.
    E não sei que tipo de mensagem este teu texto pode conter. Porque cais no mesmo erro dos que criticas. Quase encobrir ou justificar uma coisa com a outra.

    By Blogger Sílvio Mendes, at quarta-feira, março 22, 2006 5:06:00 da tarde  

  • O meu texto não tem "mensagem" nenhuma. Condeno tanto Guantanamo como a brutalidade dos regimes de Havana e de Pequim. É isso que distingue a minha posição da daqueles "democratas" que se manifestam contra Guantanamo e que ao mesmo tempo elogiam os "bravos resistentes iraquianos" (leia-se, terroristas que se fazem explodir junto de mesas de voto, escolas e filas de desemprego).

    By Blogger Filipe Alves, at quinta-feira, março 23, 2006 1:08:00 da tarde  

  • Afinal estão todos de acordo, e eu junto-me ao grupo: criticar as violações do Direitos Humanos onde quer que existam. Mas existe uma nuance, de facto: os apoiantes do regime cubano ou denunciam como falsidade reacionária os crimes do regime ou fazem de conta que não se passa nada; aqueles que apoiam a Administração norte-americana querem legitimar o uso da tortura e a suspensão de todos os direitos dos detidos em Guantanamo.

    By Anonymous pepe, at sábado, maio 13, 2006 12:44:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home